Páginas

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Legislativo : Denuncias na Cohab - Caso Oliveira Jr - Carta ao povo (por Márcio)

Segunda, 28 de Novembro de 2011 - 23h45
Comissão Especial de Estudos ‘isenta’ Cohab de esquema

Em reunião morna, presidente aponta que não existe ‘nenhuma interferência’ de políticos na companhia
Jean Vicente
Foto: Joyce Cury / A Cidade
O presidente da Cohab-RP (Companhia Habitacional Regional de Ribeirão Preto), Silvio Martins, prestou depoimento nesta segunda-feira (28) à CEE (Comissão Especial de Estudos) que apura possíveis irregularidades na venda de casas populares na cidade e, de cara, conseguiu convencer os vereadores da comissão sobre isenção da companhia no suposto esquema fraudulento.
Em audiência bastante morna, Martins negou qualquer envolvimento da companhia. Os vereadores ficaram satisfeitos com as informações e não insistiram sobre possíveis falhas no sistema e sobre a participação de funcionários num suposto esquema.
"Pelas explicações dele [Martins] e, até por nós vereadores que temos esse trabalho há muitos anos, já sabíamos que seria difícil [a participação da Cohab] ", diz o presidente da CEE, Walter Gomes (PR). "Na nossa concepção, achamos que não tem funcionários envolvidos", conclui.
No depoimento, Martins disse que a Cohab fez uma investigação durante 17 dias para saber se existia algum tipo de esquema para "furar fila" dos sorteios. Nada teria sido encontrado.
O presidente da Cohab ainda afirmou que o sistema não abre brechas para que políticos tenham influência na escolha dos beneficiados. "Acredito que o sistema não vai ter a fraude que o pessoal pensa. Acredito que a Cohab, nesse caso, não tem a participação de nenhum funcionário", aponta.
Apenas CDHU
Poucas foram as perguntas incisivas da CEE. O advogado Heráclito Mossin, que auxilia os trabalhos, perguntou diretamente onde existe fraude na entrega. Martins negou qualquer problema e apontou que os depoimentos das duas mulheres presas sob acusação de estelionato são de casas da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano).
As casas oferecidas pelas mulheres foram construída pela companhia estadual, mas a lista de mutuários cadastrados é da Cohab.
"Até agora, só atingiu a Cohab na questão moral, porque é colocado como ‘caso Cohab’. Como se faz isso se a gente não tem uma participação declarada? Isso pode até ser caso de interpelação judicial", afirma.
Diretor da CDHU será o próximo
O próximo encontro da CEE será na próxima segunda (5), às 17h. A expectativa é ouvir o diretor regional da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano), Milton Vieira.
Na segunda (28), a CDHU acabou sendo citada no depoimento de Silvio Martins em vários momentos. Walter Gomes perguntou a Martins qual o mecanismo usado na fraude junto a CDHU. "Eu não vou falar em fraude, o que a pessoa está vendendo é promessa", aponta Martins.
O presidente da Cohab também apontou que as pessoas que deram dinheiro para as suspeitas visitaram casas que foram construídas pela CDHU.
"Elas visitaram casas de dois e três dormitórios e com aquecedor solar. Casa com aquecedor solar nós não temos. Tem na CDHU, pronta, e está para ser entregue na segunda etapa".









































































A Cidade - Terça, 29 de Novembro de 2011
Procurador retoma inquérito que investigava possíveis fraudes
Motivo da reabertura são as novas denúncias de irregularidades na distribuição de casas populares em Ribeirão
Wesley Alcântara
O Ministério Público Federal (MPF) em Ribeirão Preto pediu nesta segunda-feira (28) para a Justiça Federal o desarquivamento de um inquérito que investigava possíveis fraudes de documentos no processo de financiamento de moradias populares pela Caixa Econômica Federal. O documento foi arquivado em maio deste ano.
O motivo da reabertura são as novas denúncias de irregularidades na distribuição de casas populares em Ribeirão. Duas mulheres foram detidas suspeitas de cobrar até R$ 3 mil para conseguir casas a clientes. Elas também são investigadas pela polícia. O MPF quer saber se existe alguma relação entre este caso e o inquérito já realizado.
Naquela ocasião, o MPF não conseguiu comprovar que documentos eram fraudados perante à Caixa no processo de financiamento dos imóveis. Durante o processo, o MPF recebeu documentos do pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Os papéis indicavam possíveis crimes de falsificação. Entretanto, não houve provas de que a fraude ocorreu na Caixa, o que levou ao arquivamento do processo.

Troca de informações
Além de pedir para a 7ª Vara Federal de Ribeirão o desarquivamento do inquérito, o procurador da República Carlos Roberto Diogo Garcia também acionou o Ministério Público Estadual (MPE).
Isso porque ele propõe o compartilhamento de provas que o órgão estadual detém sobre o novo esquema envolvendo a Cohab.
"O objetivo de compartilhar é verificar se nos autos do Ministério Público Estadual existem elementos suficientes para suscitar uma investigação federal e vice-versa", disse ontem o procurador, por meio de sua assessoria.
Segundo ele, com a nova análise do caso, o objetivo é verificar se nos documentos coletados pelo MPE de maio até hoje existem novos elementos e quais são eles. "Se os indícios forem fortes, reabriremos a investigação que havia no MPF", justifica.

Seccional nomeia delegado para apurar caso

O titular da Delegacia Seccional de Ribeirão Preto, Adolfo Domingos da Silva Junior, confirmou nesta segunda (28) que o delegado Marcos Sales ficará responsável pela investigação do caso envolvendo a suposta venda irregular de imóveis populares.
"Ele conduzirá toda a investigação sob a minha supervisão. A investigação está avançando", diz.
Entretanto, Silva Junior não quis adiantar quais as pessoas que serão ouvidas nos próximos dias. "Vamos marcar uma entrevista coletiva e esclarecer o andamento da investigação."
Já o delegado Marcos Sales não foi encontrado.
Na semana passada, a administração da prefeita Dárcy Vera (PSD) entregou documentos na Seccional.
Ministério Público Estadual

O promotor Sebastião Sérgio da Silveira aguarda a entrega de documentos por parte da Cohab e da Prefeitura. "A nossa estratégia será comparar a lista das casas já entregues com a relação de pessoas que pagaram a propina", diz. A Câmara de Vereadores realiza uma comissão e estudos sobre o caso.



__________________________________________________________________

Caso Oliveira Júnior


A Cidade - Terça,29 de Novembro de 2011
Nicanor desqualifica as declarações do ‘quarteto’
Movimento repudia ação de quarteto e pede punição; Conselho de Ética prevê advertência
Monize Zampieri
Foto: Joyce Cury / A Cidade

































































__________________________________________________________________  

A sociedade Ribeirão-Pretana não tem o devido respeito que merece por parte da câmara e da prefeita, e se alguma corrupção for apurada com rigor, isto partirá pela pressão da sociedade e não da cãmara e da Prefeita. ( Marcio Francisco)

CARTA AO POVO DE RIBEIRAO PRETO - A CORRUPÇÃO

É a sociedade e não a prefeita e a câmara.A sociedade de Ribeirão quer apurações e respostas condizentes da câmara e da prefeita Darcy Vera no tocante ao grande esquema de corrupção que assola a câmara e a prefeitura,pois na verdade é a sociedade e não a prefeita que quer a faxina da corrupção

A sociedade exige que tudo seja passado a limpo e os culpados identificados e punidos pelo rigor da lei.

A sociedade Ribeirao-Pretana não acredita na CEE da camara, a sociedade não acredita mais nas respostas da prefeita e da camara, pois a sociedade foi traida.A sociedade tambem nao acredita na justiça e nas ruas de Ribeirão, o que se houve é que tudo acabara em pizza.

A sociedade Ribeirão-Pretana não tem o respeito por parte da câmara e da prefeita, e se alguma corrupção for apurada com rigor, isto partirá pela pressão da sociedade e não da cãmara e da Prefeita.

A faxina da prefeita e da câmara contra a corrupção nao existe.

Povo de Ribeirão Preto,vocês estão vendo de novo a corrupção que toma conta dos poderes legislativo e executivo na cidade.Voces estão vendo novamente os escândalos de corrupção na prefeitura e na câmara.

A metade dessa corrupção, é culpa de vocês mesmo povo de Ribeirão.Vocês votaram, vocês elegeram eles , vocês são culpados sim.

Povo de Ribeirão nós não merecemos essa vergonha

Povo de Ribeirão, vocês são culpados pelos corruptos da cidade, vocês tem culpa.

Quem é descente, não vota em gente indescente.

Povo de Ribeirão Preto, quando vocês votam nos mesmos de sempre, gente que esta na câmara a mais de 15,20,30 anos, vocês estão elegendo os corruptos que não tem compromisso com a verdade e com vocês.Tenho recebido centenas de denuncias de gente do povo, mas que se escondem na hora H, gente do povo que sabe de muitos esquemas de corrupção, mas dizem que não querem aparecer.

Oras, Oras, essa gente que denuncia sem querer aparecer,esta contribuindo com a corrupção, essa gente que tem medo de dar depoimento de cara limpa, esta dando forças para os políticos corruptos da cidade.

Todo mundo hoje, diz que não vai mais votar na prefeita e nos vereadores que enterraram a CPI,dizem isto agora.

Mas se em 2012, vocês de Ribeirão Preto, votarem nos mesmo de sempre e não promoverem uma mudança de 100% na camara e na prefeitura, vou dizer aqui a mesma frase que o ex presidente Militar Figueiredo disse – ME ESQUEÇAM

Povo de Ribeirão, tomem vergonha na cara e não votem mais em corruptos,e em quem enterra CPI e não quer a verdade,os prejudicados serão os moradores honestos e trabalhadores.
Lembrem-se a verdadeira democracia não é lugar para corruptos.
Parem de votar pela barriga, parem de votar por troca de favores, votem com o cérebro se vocês tiverem.

                                O BLOG DE MARCIO FRANCISCO
             A prefeita de Ribeirao Preto disse que Foi Tiradentes que gritou independencia ou morte

                                      www.marciofrancisco.blogspot.com
                                             
Vejam meu outro blog de videos e política -                                              www.atrombetadopovo.wordpress.com

Sou o Jornalista que junto com o jornal Correio Braziliense descobriu e denunciou o jatinho de U$$ 7 milhões que derrubou o Ministro Wagner Rossi.Ajudei o Brasil.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

01 - Eventos / 02 - McDonald’s envolvida em escândalo

O DEPARTAMENTO DE CULTURA E EVENTOS
CONVIDA VOCÊ PARA AS SEGUINTES PALESTRAS:
Diretor: Dr. Umberto Luiz Borges D'Urso

PALESTRA
SUBSEÇÃO - RIBEIRÃO PRETO
MEDIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE UMA CULTURA DE COLABORAÇÃO

Expositoras
PROFª. DRA. CRISTINA MARCIA CARON RUFFINO
Pedagoga; Mestre em Psicologia da Educação pela UNICAMP; Doutora em Psicologia pela USP RP; Terapeuta Familiar; Mediadora Certificada pelo Instituto Familiae RP; Membro associada da Associação Brasileira de Terapeutas Familiares - ABRATF e do Instituto Brasileiro de Direito de Família - IBDFAM.
DRA. JULIANA POLLONI
Advogada; Mediadora; Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Estadual Paulista – UNESP; Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Família – GEPEFA; Mestre em Direito pela Universidade de Ribeirão Preto – UNAERP; Professora do Centro Universitário Barão de Mauá; Atua junto ao Tribunal Arbitral de São Paulo - Ribeirão Preto e na Câmara de Conciliação, Mediação e Arbitragem da Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto.
Data / Horário
1° de dezembro (quinta-feira) – 19h30
Local
Casa do Advogado de Ribeirão Preto
Rua Cavalheiro Torquato Rizzi, 215 – Jd. São Luiz
Inscrições / Informações
GRATUITAS
Fones: (16) 3623-0370/0879/7990 ou pelo site: www.oabrp.org.br
Promoção
12ª Subseção – Ribeirão Preto
Presidente: Dr. Ricardo Rui Giuntini
Coordenação
Comissão de Cultura e Eventos da OAB – Ribeirão Preto
Dr. Henrique Furquim Paiva
Apoio
Coordenadoria Geral das Comissões da OAB – Ribeirão Preto
Dra. Maria Carolina do Prado Haram Colucci

***Serão conferidos certificados de participação — retirar em até 90 dias***
*** Vagas limitadas ***

Dr. Luiz Flávio Borges D’Urso
Presidente da OAB SP

____________________________________________________________________ 

Quarteto de cordas do Ensemble Mentemanuque
Cláudio Cruz e Marcelo Soares (violinos)
Willian Rodrigues (viola) &
Julian Tryczynski (violoncelo)
 
O Departamento de Música da FFCLRP-USP, em parceria com a Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP, Grupo Pró-Música de Ribeirão Preto e Fundação D. Pedro II (fundação mantenedora do Theatro Pedro II), estará apresentando no próximo dia 29 de novembro, terça-feira, às 20h30, no Theatro Pedro II, o concerto de encerramento da Temporada de Música de Câmara 2011.

PROGRAMA:
 Dmitri Chostacovitch - Quarteto de cordas nº 8 em Dó menor, Op. 110
 Antonín Dvořák - Quarteto de cordas nº 12 em Fá maior, Op. 96 “Americano”
 Os ingressos custam R$ 10,00 (inteira) e R$5,00 (aposentados). Já para estudantes a entrada é gratuita.
Maiores informações: http://www.ffclrp.usp.br/eventos/integra.php?id=813
(16) 3977.8111- Theatro Pedro II
(16) 3602.3136 -Departamento de Música da FFCLRP-USP
 
Dicas Culturais
Seção de Atividades Culturais / DVATCOM / CCRP / USP Ribeirão Preto
F: (16) 3602.3530 - www.ccrp.usp.br/cultura
Rua Pedreira de Freitas, edícula casa 7 (endereço provisório) - USP Ribeirão Preto

__________________________________________________________________ 

McDonald’s envolvida em escândalo de tortura de animais
Posted: 22 Nov 2011 10:03 AM PST

Um grupo de defesa dos direitos dos animais divulgou um vídeo que mostra a forma cruel com um dos fornecedores de ovos da cadeia de fast food McDonalds trata as galinhas. O vídeo divulgado pela ONG “Mercy for Animals” foi gravado com uma câmara oculta na Sparboe Eggs Farm e mostra as galinhas a serem tratadas de forma cruel.
A McDonalds já suspendeu a compra de ovos da empresa e emitiu um comunicado a sublinhar que considera que “o comportamento exibido no video é perturbador e completamente inaceitável”.
Galinhas amontoadas em gaiolas, sem qualquer espaço nem condições, pintainhos com bicos queimados a sangue frio e várias cenas de tortura são algumas das imagens divulgadas.
Vídeo no Youtube (contém cenas fortes)
Fonte | Via Cantinho Vegetariano
ViSta-se: Se o McDonald’s acha que explorar e torturar animais é “completamente inaceitável”, seria bacana eles mostrarem de onde eles vão comprar os ovos depois de romper o contrato com o fornecedor em questão. A maioria das cenas do vídeo são puro padrão de produção da indústria e não atos de crueldade isolados

Assinaturas para CPI objetivando apurar denúncia contra a prefeita Darcy Vera

   Pessoal, existe uma petição pública para recolher assinaturas com o fim de levá-las à Câmara de Vereadores de Ribeirão Preto para exigir de nossos vereadores a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar grave denúncia atribuída à prefeita Darcy Vera. O caso está descrito no conteúdo da petição.

  A denúncia é grave e envolve questão fundamental na vida das pessoas; a moradia. Envolve fraude com locupletamento ilícito atribuído à várias pessoas, que inclui a prefeita Darcy Vera, em detrimento de pessoas necessitadas em vários aspectos sociais. Envolve uma representante do povo; a prefeita Darcy Vera que recebeu mandato eletivo para bem e fielmente representar seus mandantes populares, e se o que está sendo denunciado for procedente, a prefeita pode estar infringindo vários de seus deveres e incorrendo em improbidade administrativa tipificada pela Lei nº 8.429 de 1.992 em seus artigos 9º e 11 e em crime de corrupção passiva tipificado no art. 317 do Código Penal, devendo receber as punições legalmente cabíveis, incluindo a cassação de seu mandato, razões pelas quais se faz imprescindível a criação de uma CPI para a situação.
Se esses motivos não bastarem aos vereadores de Ribeirão Preto que votaram contra a criação da CPI para apurar a denúncia contra a prefeita Darcy Vera, podemos nós, frustrar a transparência que esperamos desses vereadores em todos os aspectos do exercício da vereança, não só na continuidade do mandato presente que lhes foi concedido como também de qualquer outro que eles pretendam no futuro, sendo tal fato lembrado como exemplo de conivência na impunidade e assim mau exemplo a ser rechaçado por todos nós, inclusive nas eleições.
   Se concordarem, assinem o quanto antes, pois a petição será protocolada na Câmara a qualquer momento, então quanto mais assinaturas, maior possibilidade temos de conseguir uma CPI e assim, mais chance de que a denúncia seja apurada.

   A petição pode ser acessada no seguinte link;

Raquel Bencsik Montero

Denúncias na Cohab - venda de casas

A Cidade - Sábado 27 de Novembro de 2011

Compradores’ de imóveis populares revelam esquema

Pessoas que pagaram, e não receberam, revelam como é a negociação
Jucimara de Pauda

Ponto de ônibus, conversas com amigos, indicações de parentes e vizinhos, visitas aos locais onde as casas iriam ser construídas e até pagamento parcelado. Estas foram as estratégias usadas pela autônoma Marta Aparecida Mobiglia, 45 anos, e pela arquiteta Maria Rosa Lopes Ferreira, 57 anos, para venderem ilegalmente o sonho da casa própria para pelo menos 200 pessoas, de acordo com lista entregue pela dupla à Polícia Civil.
A reportagem ouviu testemunhas que revelaram detalhes do esquema. As mulheres cobravam entre R$ 1.500 e R$ 3.000 das pessoas que precisavam de uma moradia e diziam que elas iriam receber casas no Paulo Gomes Romeo, zona Oeste da cidade. Elas afirmavam ainda que as residências eram destinadas a famílias que tinham rendas de até três salários mínimos e que seriam entregues casas com dois e três dormitórios. Algumas delas teriam aquecedor solar e as prestações seriam de R$ 74.
"Eu fui até ver o lugar onde seria a minha casa. Fiquei numa felicidade quando vi o bairro Paulo Gomes Romeo. Agora não tenho casa e nem dinheiro", diz uma das vítimas das supostas estelionatárias.
Ela pagou R$ 1.500 à prestação. Os últimos R$ 900 foram quitados porque ela indicou amigos para a compra da casa. "Cada pessoa que eu levei elas abateram R$ 100", diz um comprador.
De acordo com uma das pessoas que adquiriram o imóvel fantasma, Marta e Rosa não falavam que eles estavam "furando" a fila da Cohab, que tem quase 15 mil inscritos. Elas alegavam que prestavam serviços para pessoas da prefeitura que tinham direito a vender uma cota de casas. "Elas não diziam que a gente ia furar a fila. A Rosa falava que prestava serviços para a Cohab como arquiteta e que estava pegando documentos e dinheiro de pessoas que precisavam de casa", diz um rapaz que pediu para não ser identificado.
As vítimas afirmam que as duas mulheres pediam documentos pessoais autenticados, certidão de nascimento dos filhos e comprovante de residência.
"Elas afirmavam que os papéis e o dinheiro iriam para a prefeitura e que as casas seriam entregues para a gente. Elas não falavam em sorteio. Não pagamos para furar fila. Achávamos que era um projeto legalizado", afirmou.
Ela explica que não quer ser identificada por medo. "Não coloque o meu nome porque eu tenho medo do envolvimento de políticos", diz.

Legislativo - Especialistas criticam votação de CPIs


Especulações Eleitorais - A Cidade - 27-11-11 - Coluna do Névio

domingo, 27 de novembro de 2011

Legislativo - Bloco de oposição / Audiênca Pública / Caso Oliveira Júnior






            Na qualidade de Presidente da Comissão de Direitos Humanos – Criança e Adolescente /Idosos /P.N. Especiais/ Minorias, venho mui respeitosamente convidá-lo a participar no próximo dia 28 deste mês de novembro de 2011, das 19 às 22 horas da Audiência Pública FORUM RIBEIRÃO PRETO 2021.

              Local – Plenário Câmara Municipal de Ribeirão Preto – Avenida Jerônimo Gonçalves, 1200
    
      Ribeirão Preto, 24 novembro 2011
    
          
Corauci Neto
Vereador

___________________________________________________________________



sábado, 26 de novembro de 2011

Denuncias na Cohab


Denuncias Cohab


01 - CEE ‘esquece’ Dárcy e chama Cohab
A Cidade - Sexta, 25 de Novembro de 2011 

Vereadores querem ouvir Silvio Martins na próxima segunda-feira; prefeita fica para depois
Jean Vicente
                   Vereadores iniciam CEE de venda das casas populares e vão ouvir primeiro a Cohab-P 
                                                                                  Foto: Weber Sian / A Cidade  
Apesar de a prefeita Dárcy Vera (PSD) se colocar à disposição da CEE (Comissão Especial de Estudos) que vai apurar possíveis irregularidades na concessão de casas populares em Ribeirão Preto para ser ouvida, o depoimento da chefe do Executivo só deve ocorrer em 2012. Na quinta-feira (24), na primeira reunião informal do grupo, os parlamentares confirmaram que ela só deve ser ouvida no final dos trabalhos, que devem durar, no mínimo, 120 dias.
A prefeita e a irmã dela, Marli da Silva Vera, são apontadas por uma das suspeitas de terem participação no esquema, o que é negado por ambas. "A prefeita será ouvida. Ela se colocou à disposição", garante Walter Gomes, presidente da CEE.
A comissão definiu chamar o presidente da Cohab (Companhia Habitacional Regional de Ribeirão Preto), Silvio Martins, para depor na segunda-feira, às 16h. Como não tem poder para convocar ninguém, a CEE só irá ouvir Martins se ele aceitar o convite. A oposição defendia a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), que teria poder de convocação.
A ideia da CEE, que terá o apoio do advogado Heráclito Mossin, é entender todo o mecanismo das entregas das casas, para depois ouvir a prefeita e também as duas mulheres que foram presas por suposta venda de unidades habitacionais.
Para compreender o sistema, os vereadores vão chamar o gerente regional da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano), Milton Vieira, e o diretor regional da Caixa Econômica Federal (CEF), Demerval Prado Júnior. A CDHU é responsável pela construção dos imóveis e a CEF faz o financiamento.
Prova emprestada
A CEE vai pedir os depoimentos das mulheres envolvidas no suposto esquema para a polícia civil. "Vamos pegar as provas emprestadas, mas, se houver necessidade, vamos chamá-las", diz o vereador Samuel Zanferdini (PMDB).
"Essas pessoas podem ter interesse de vir aqui até para se defender", comentou Heráclito Mossin, que ainda defendeu a estratégia adotada de não ouvir as mulheres suspeitas e a prefeita logo no início.
___________________________________________________________________ 

Jornal A Cidade - 25-11-11



 
 

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

01 - Belo Monte e a Questão Indígena Andréa Zhouri / 02 - MOVIMENTO SEM TETO FAZ OCUPAÇÕES HISTÓRICAS EM SÃO PAULO


Cf. no link, abaixo, a análise da Dra. Andréa Zhouri (ABA-UFMG), professora de Antropologia e Sociologia, durante o seminário "A Hidrelétrica de Belo Monte e a Questão Indígena", ocorrido no dia 07 de fevereiro de 2011 na Universidade de Brasília. Veja que tragédia será Belo Monte!
Enquanto na Bolívia os indígenas tem consciência do seu poder, no Brasil o "desenvolvimentismo" é a nova cara do genocício contra índios e toda biodiversidade. Assim como a Transposição do Rio São Francisco, Belo Monte começou, mas não terminará, pois é uma obra maldita.
A quem ainda não se convenceu, inclusive, com o depoimento dos/as artistas contra Belo Monte, sugiro que assista ao vídeo “Belo Monte e a Questão Indígena: Andréa Zhouri”. E divulgue ao máximo.

http://www.youtube.com/watch?v=npoLn9pzJ5E

Um abraço afetuoso. Gilvander Moreira, frei Carmelita.

e-mail: gilvander@igrejadocarmo.com.br
www.gilvander.org.br
www.twitter.com/gilvanderluis
Facebook: gilvander.moreira
skype: gilvander.moreira

______________________________________________________

02 - MOVIMENTO SEM TETO  FAZ OCUPAÇÕES HISTÓRICAS EM SÃO PAULO
E RESISTE ÀS REINTEGRAÇÕES POSSE

Desde o dia 07 de novembro de 2011, os Movimentos de Movimentos de Moradia filiados à  Central de Movimentos Populares,  a Frente de Luta Pela Moradia e a União dos Movimentos de Moradia,  vem desencadeando uma intensa luta por moradia no Centro da Cidade de São Paulo.
Durante a madrugada do dia 07 de Novembro, em pouco mais de duas horas foram realizadas mais 10 ocupações de prédios públicos e privados, mobilizando mais de 4 mil  pessoas.
Esta com certeza é uma das maiores jornadas de luta pela moradia,  articuladas pelos Movimentos Sem Teto  da área central da cidade de São Paulo.
As ocupações ocorreram porque o Secretario Municipal de Habitação, há mais de um ano vem se recusando a dialogar com os Movimentos Sem Teto, e ainda, vem tratando com descaso todas as tentativas de negociação solicitadas pelo Movimento.
Cansados da truculência e do autoritarismo do Senhor Secretario de Habitação Ricardo Leite,  e da falta de política habitacional para o centro,  os Movimentos decidiram partir para uma luta sem tréguas, para exigir um Programa de Moradia, que atenda  as demandas dos Sem Teto que  vivem,  lutam e trabalham centro
Os Sem Teto exigem transparência e critérios na discussão de demanda,  e que o Programa Renova Centro saia de verdade do papel.  Exigem a retomada das obras do Casarão da Rua Carmo, com a destinação dos apartamentos para famílias que há anos aguardam a conclusão deste empreendimento, e lutam ainda, pela devolução do dinheiro da desapropriação do São Vito e Edifício Mercúrio ao Fundo Municipal de Habitação para compra de outros imóveis no centro para famílias de baixa renda.
Desde o dia 10 de novembro, a Secretaria de Habitação, a Cohab SP,  e os especuladores privados vem reintegrando os vários imóveis ocupados, demonstrando também a insensibilidade do poder judiciário para com os problemas sociais da cidade.
Não basta reconhecer a justeza das demandas do Movimento, por uma questão de justiça, o  judiciário  deveria   suspender  todas as liminares nas ocupações que ainda resistem.
O Ministério das Cidades deve também intervir nesta questão, para construir alternativas para o dialogo e a negociação, considerando que grande parte dos recursos para o Programa Renova Centro, poderão vir a ser  destinados pelo  Governo Federal.
São Paulo, 22 de novembro de 2011.

Central de Movimentos Populares – Brasil
Benedito Roberto Barbosa – fone 75983012  




Blog do Márcio

Caro jornalista

Segue anexo texto sobre a decisão judicial que extingue o processo de danos morais movido pela prefeita de Ribeirão Preto, Dárcy Vera (DEM), contra o deputado federal Fernando Chiarelli (PDT-SP), que a havia chamado, durante a campanha eleitoral de 2008, de faxineira de latrina e Lucrécia Borja, além de apontar os crimes de improbidade administrativa cometidos pela democrata ao longo de sua vida pública. A íntegra da decisão, que provém da Segunda Vara Cível de Ribeirão, pode ser conferida no processo 1406/08. Também tenho em màos cópias do documento para os jornalistas que não conseguirem acessar a decisão judicial. Por se tratarem de termos fortes, reitero: toda a informação entre aspa foi tirada do acórdão do magistrado que julgou o caso, sem nenhum acréscimo ou decréscimo.
Desde já grato e ã disposição

Jornalista Eduardo Schiavoni
Assessoria - Deputado Fernando Chiarreli (PDT-SP)
(16) 9178-0387 ou (16) 7812-7601
Nextel 24026 e msn easchiavoni@hotmail.com


Juiz confirma improbidade de Dárcy e inocenta Chiarelli
Para magistrado, prefeita fez por merecer ser chamada de limpadora de latrina e Lucrécia Borja ao envergonhar povo de Ribeirão por mau uso de dinheiro público

Culpada por mau uso de dinheiro público, improbidade administrativa e, por isso, digna de receber a qualificação de limpadora de latrinas e Lucrecia Borja. Eis a forma de tratamento que a Justiça, através de uma decisão da Segunda Vara Cível de Ribeirão Preto, autoriza para que a população de Ribeirão Preto se refira à sua prefeita, Dárcy da Silva Vera (DEM).
As comparações foram feitas pelo deputado federal Fernando Chiarelli (PDT-SP) na época da campanha eleitoral do ano passado. Sentindo-se magoada, a prefeita entrou com uma ação civil onde cobrava danos morais contra Chiarelli. Na decisão da pendenga, o juiz Cássio Modenesi Barbosa, da Segunda Vara Cível de Ribeirão, declarou que, em que pese as críticas não serem polidas, não dão direito a qualquer tipo de indenização por serem baseadas em fatos concretos. O magistrado determina ainda que, além da extinção do processo com julgamento de mérito, a prefeita arque com os honorários advocatícios e custas processuais.
Segundo Barbosa, “os fatos imputados encontram-se reconhecidos pelo Judiciário e Tribunal de Contas, importando a suspensão dos direitos políticos” da prefeita. O magistrado ainda argumenta, em sua sentença, que, “se as decisões judiciais (...) consideram a autoria ímproba, ter faltado com o dever de honestidade, envergonhando desta forma os cidadãos, [a prefeita] não se pode insurgir contra o fato de ver-lhe negadas as qualidades da seriedade e da honradez, mesmo quando os réus carecem de polidez”.
Durante o pleito de 2008, Chiarelli chegou a comparar Dárcy a uma faxineira de latrina. Sobre isso, Barbosa declarou que “a comparação (...) não é das mais alvissareiras, mas o contexto em que se viu produzida impõe-se reconhecer pela conduta da própria autora, já condenada pela Justiça”.
Sobre as condenações de Darcy Vera por improbidade administrativa, Barbosa foi ainda mais incisivo. Disse, textualmente, que a má conduta da prefeita de Ribeirão enquanto política faz jus a todas as comparações realizadas por Chiarelli. “Ora, quem vê todas as suas contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (...) não pode, efetivamente, reclamar de se ver comparada a Lucrecia Borja, nem incomodar-se a si da mordaz crítica feita por Lima Barreto; quanto ao anônimo do século XVIII, aquela que se vê condenada a restituir em vinte vezes o valor de seu salário, porque participe de verbas ilícitas, está sujeita ã comparação dura, mas não ofensiva à sua intimidade”.

                                O BLOG DE MARCIO FRANCISCO
             A prefeita de Ribeirao Preto disse que Foi Tiradentes que gritou independencia ou morte

                                      www.marciofrancisco.blogspot.com

Sou o Jornalista que junto com o jornal Correio Braziliense descobriu e denunciou o jatinho de U$$ 7 milhões que derrubou o Ministro Wagner Rossi.Ajudei o Brasil.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Lançamento do documentário Leite e Ferro - 2511 em São Paulo

Amigos,

Segue, para conhecimento e divulgação, informativo sobre o lançamento do documentário "Leite e Ferro", que acontecerá no dia 25 de novembro, em São Paulo. “Leite e Ferro”, é um filme sobre amamentação, sexualidade, drogas e religião no cárcere.
Com direção de Cláudia Priscilla, o filme registra, com delicadeza, a maternidade na prisão, e tem como cenário o Centro de Atendimento Hospitalar à Mulher Presa (CAHMP). “Leite e Ferro” retrata o cotidiano desta instituição, em São Paulo, fechado há dois anos, que abrigava mulheres em fase de aleitamento, após darem a luz. Mães e bebês ficavam juntos atrás das grades, mesmo que por pouco tempo. O documentário também discute a contradição das emoções. Por um lado, a maternidade é vista como um momento de plenitude na vida das mulheres, por outro, como uma situação limite do encarceramento e da exclusão. As detentas são registradas de uma forma diferente pela diretora, com uma intimidade de roda de comadre. Assim, surgem relatos e discussões, muitas vezes ditas com bom  humor, sobre o prazer de amamentar, o sexo, a fidelidade, a violência policial, o amor, o tráfico, as drogas e a religião. O filme foi premiado como melhor documentário e melhor direção de documentário na edição de 2010 do Festival de Paulínia e com o Grande Prêmio Internacional - Femina 2011. Mais informações: http://leiteeferro.wordpress.com/

Avant trailer: http://vimeo.com/30548459

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Blog do Márcio

POVO QUER PREFEITA DE RIB.PRETO NA CADEIA
Leitores da folha de Sp querem prefeita de Ribeirão Preto na cadeia

                                O BLOG DE MARCIO FRANCISCO
             A prefeita de Ribeirao Preto disse que Foi Tiradentes que gritou independencia ou morte

                              http://www.marciofrancisco.blogspot.com/


Sou o Jornalista que junto com o jornal Correio Braziliense descobriu e denunciou o jatinho de U$$ 7 milhões que derrubou o Ministro Wagner Rossi.Ajudei o Brasil.